jun 10, 2015

Publicado em Indicações, Livros, Mensagens & Reflexões | 17 Comentaram

A Mágoa

Há muitos anos, Chico possuía um cachorro deficiente. Esse animal lhe dava um trabalho muito grande. Quando chegava em casa de madrugada, após o trabalho no centro espírita, tinha que limpar todo o quarto. Comprava, com seu diminuto ordenado, uma coberta que não chegava a durar um mês. Assim foi durante muito tempo.

Certo dia, quando ele chegou, o cachorro estava morrendo.— Parecia que ele estava me esperando… — disse com tristeza — Olhou-me demoradamente de uma maneira muito terna, fez um gesto com a cauda, e morreu. Enterramo-lo no fundo do quintal, não sem antes derramar muitas lágrimas. Passaram-se alguns meses e uma de suas irmãs lhe disse:  — Chico, você se lembra daquele cachorro aleijado?— Claro, como poderia esquecê-lo?— Olha, vou contar uma coisa. Ele não morreu naturalmente não. Dona Fulana tinha pena de ver você chegar todo dia de madrugada e ter tanto trabalho. Então, querendo aliviá-lo, deu veneno para o cão.  — Ah, meu Deus! Não me diga uma coisa dessas!  — É verdade, Chico. Ele não sentiu raiva, pois em seu coração não havia espaço para isso. Mas uma tristeza  invadiu-lhe   a alma e uma sombra começou a  envolver-lhe  o coração. Passados alguns dias, o espírito Emmanuel lhe disse: — Chico, essa mágoa que você asila no coração está atrapalhando o trabalho dos Bons Espíritos. Você precisa se livrar dela.  — Não consigo esquecer… — disse-lhe Chico, amargurado.— Mas é preciso. Como fazer?  — Você precisa dar uma grande alegria a ela.  — Eu dar alegria a ela?!  O ofendido fui eu! — A receita não é minha… É de Nosso Senhor Jesus Cristo. “Fazei bem aos que vos aborrecem.”  Leia o Evangelho. Obediente e resignado, Chico procurou descobrir o que a pessoa gostaria de ter e não tinha, Era uma máquina de costura.  Chico comprou, então, uma máquina de costura, a pagar em longas prestações.

Quando foi visitá-la, a pessoa estava tão feliz, tão feliz, que quando viu o Chico chegando, correu para ele e lhe abraçou com tanto amor, que uma luz intensa se desprendeu dela e o envolveu da cabeça aos pés. Quando ela soltou o abraço, a sombra havia desaparecido.

Livro : Lindos casos de Chico Xavier

Por Ramiro Gama

468 ad

Comentar